Buscar

Muito se fala em inteligência emocional, mas você sabe o que é isso?

A inteligência emocional é a capacidade de administrar as próprias emoções. Para alcançar seus objetivos as pessoas precisam saber lidar com seus riscos, medos, inseguranças, e insatisfações.


Inteligência emocional gera saúde, faz com que trabalhemos corretamente sem excessos e o mais importante: alcançamos mais facilmente o chamado Equilíbrio produtivo positivo, aonde sabemos produzir na vida profissional e focar na vida pessoal também, tudo na medida certa.


Algumas pessoas atribuem a inteligência diretamente ao QI (Quociente de Inteligência), e em geral nosso destino é quase sempre determinado por este tipo de inteligência "mais conhecida". Entretanto, a diferença entre as pessoas que se destacam perante as outras está muitas vezes na inteligência emocional, que incluem aptidões como autocontrole, zelo, empatia, persistência e capacidade de entender e motivar a si mesmo.

O impulso é o veículo da emoção, a semente de todo impulso é um sentimento explodindo para expressar-se em ação. A capacidade de controlar impulsos é a base da força de vontade e do caráter, a pessoa que entende seu impulso e sabe o controlar tende a usar sempre seu maior potencial.


A inteligência emocional está muito relacionada com o autoconhecimento. Com inteligência emocional e autoconhecimento você consegue motivar-se diante de frustrações, controlar impulsos e adiar a satisfação, regular o próprio estado de espírito, impedir que a aflição invada seu pensamento, criar empatia com outros e saber esperar.


Quando falamos de inteligência emocional é importante entendermos a compreensão estrutural e conjuntural de potencialidades de uma pessoa. Entende-se como estrutural, a construção já definida, aquela que informa a essência do movimento que nos impulsiona. Como conjuntural, entende-se a somatória de experiências adquiridas e seus impactos em nossa construção estrutural.


Entendemos que todos nós, ao nascermos, trazemos características essenciais que são desenvolvidas através de uma junção de muitos fios, tangíveis e intangíveis, que ligam nossas emoções, sonhos, pensamentos e experiências. Nosso campo de potencialidades é a integração de todos esses aspectos e vivências, isso forma nossa estrutura e influencia como nos relacionamos com as outras pessoas.


Existem dois tipos de inteligência, a "inteligência intrapessoal" é uma aptidão voltada para si mesmo, é a capacidade de formar um modelo preciso de si mesmo, e usá-lo para agir eficazmente na vida. Ter acesso a nossos próprios sentimentos, e a capacidade de discriminá-los e usá-los para orientar o comportamento. Já a “inteligência interpessoal" é a capacidade de compreender outras pessoas: o que as motiva, como trabalhar com elas, etc. Inclui a capacidade de discernir e responder adequadamente aos estados de espírito, temperamentos, motivações e desejos de outras pessoas.


Não podemos falar em Inteligência Emocional sem deixar de mencionar Daniel Goleman, autor do livro Inteligência Emocional, que dedicou sua vida a estudar esse assunto. Ele nos traz os cinco principais domínios da inteligência emocional:


Conhecer as próprias emoções (Autoconsciência): Reconhecer um sentimento quando ele ocorre é fundamental para a inteligência emocional. A capacidade de entender sentimentos a cada momento é crucial para o discernimento emocional e autocompreensão. A incapacidade de observar nossos próprios sentimentos nos deixa a mercê deles;


Lidar com emoções (Autogerenciamento): As pessoas boas nisso se recuperam com mais rapidez das perturbações ou problemas da vida, voltando para seu eixo. Sabem como lidar com os sentimentos para que sejam apropriados, como se livrar da ansiedade, tristeza ou irritabilidade, por exemplo;


Motivação: A capacidade de entrar em um estado de “fluxo” possibilita excepcionais desempenhos, as pessoas que tem capacidade de enxergar o que mais as motiva tendem a ter mais produtividade e eficácia nas atividades que empreendam, conhecer que somos seres estruturais, trabalhados por uma conjuntura e vivendo movimentos de diferentes ciclos ajuda a encontrarmos o "flow";


Empatia: Reconhecer emoções nos outros. Saber qual nosso estilo de conectividade com as pessoas. Os empáticos estão mais sintonizadas com os sutis sinais sociais que indicam o que os outros precisam ou querem;


Relacionamentos: A arte dos relacionamentos é em grande parte a aptidão de lidar com as estruturas, conjunturas e ciclos dos outros. O outro tem emoções, se conectar com elas é uma boa forma de se relacionar de forma positiva.


A TSer trabalha com um plataforma própria de pesquisa e desenvolvimento de potencialidades, uma tecnologia inovadora que trabalha um novo patamar de entendimento, auxiliando na criação de estratégias para a melhor tomada de decisão, com maior autoconhecimento e compreensão das potencialidades humanas. Acreditamos que as pessoas são únicas e capazes de transformar o mundo, para isso precisam conhecer seus potenciais, entender os ciclos em que vivem e utilizar estratégias que elevem suas potencialidades.


Nosso objetivo é potencializar pessoas, carreiras, ciclos e relações. Acesse nosso Instagram @tserprogramas e conheça mais.


15 visualizações

Human Code Tecnologia em Gestão de Pessoas Ltda. | CNPJ 33.018.259/0001-19

Atendimento: (11) 99528-3539 / E-mail: contato@tserprogramas.com.br 

Política de Privacidade   Termo de Uso

© 2019 por @olucasmartinss