Buscar

O propósito: um grande custo de oportunidade.

Texto escrito pela Interventora, psicóloga e Master Coach, Renata Arrepia.


Percebo muitas pessoas preocupadas com a crise financeira, política, moral. Hoje em dia não é só a parte financeira, moral e política que preocupa e sim o significado do que fazemos: porque fazemos o que fazemos tem sido pauta de diversas discussões.


Sou empresária, formada em psicologia e atuo com desenvolvimento humano há mais de 25 anos, sempre buscando uma qualidade de vida melhor para as pessoas e para as empresas, trabalho fortemente em desenvolvimento de grandes times e executivos buscando resultados mais assertivos com menor esforço.


A minha experiência profissional tem me mostrado a necessidade de entender qual é a razão pela qual você quer tudo aquilo que deseja, qual a razão pela qual você tem forças diferentes de outras pessoas, habilidades diferenciadas e que muitas vezes você nem percebe que tem. Estudos na vertente de psicologia positiva mostram que as pessoas costumam se perguntar o que fizeram de suas vidas e porque fizeram isso quando estão com aproximadamente 65 anos. Será que precisamos mesmo esperar tantos anos para perceber que fizemos mais coisas sem sentido do que coisas com sentido em nossa vida?


Segundo Subramaniam Ragan, economista indiano e professor de estratégia em negócios, "as pessoas parecem TER mais e ao mesmo tempo, SER menos”. A segurança financeira é muito importante, mas temos um limite nesta segurança, pois de que adianta toda essa garantia se podemos não a usufruir. É muito comum somente pensarmos em propósito quando passamos por experiências traumáticas e quando acontece mudamos o rumo de nossa vida significativamente. Mas porque esperar por um drama se a vida toda queremos uma só coisa: sermos felizes.


Os números são muito significativos quando falamos de propósito em empresas:


Chega a ser 3 vezes maior a disposição de um funcionário em permanecer na empresa;

O retorno financeiro para os acionistas chega a ser 10 vezes maior;

89% dos consumidores acreditam que empresas com propósito fazem melhores produtos;

As pessoas engajadas em um propósito entregam 5 vezes mais do que um colaborador desengajado e sem propósito.


Depois de mais de 14 anos estudando sobre propósito e muitos cases de sucesso em diversas empresas, afirmo que o propósito movimenta times, movimenta resultados, movimenta as pessoas, movimenta a vida.


O propósito deve estar ligado a história da empresa e ao que ela quer proporcionar para o mundo, como sua empresa contribui para a sociedade e qual o impacto que sua empresa tem na vida das pessoas. Pensamentos relacionados ao acúmulo de dinheiro, ficar rico, são pensamentos que afastam de um propósito verdadeiro.


Não importa qual seja seu produto, importa o que você entrega para a sociedade.


A Mary Kay, indústria americana de venda direta de cosméticos, faz questão de se posicionar como uma empresa que “enriquece a vida das pessoas”. Todos que trabalham lá sabem muito bem qual é o seu propósito: fazer com que a vida das pessoas seja melhor financeiramente e com isso poderão viver seus grandes sonhos. Mary Kay Ash é uma das maiores líderes femininas e sempre focou muito no propósito e nos valores do que a empresa faz.


A hora de pensar qual é a razão pela qual você tem as forcas que tem e o que te faz feliz é agora, não espere que sua vida esteja encaminhada para você ser feliz.


Fonte: Consultoria EY/ Revista Exame maio /19


0 visualização

Human Code Tecnologia em Gestão de Pessoas Ltda. | CNPJ 33.018.259/0001-19

Atendimento: (48) 9928-9396 / E-mail: contato@humancode.me 

© 2020 por @olucasmartinss